Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
África

África do Sul face ao futuro

media Jacob Zuma Presidente cessante da África do Sul 2014

Os  sul-africanos  deslocaram-se massivamente às urnas para eleições gerais tidas como um marco histórico para o futuro do país da África austral. 

 

Não obstante os escândalos que caracterizaram o primeiro quinquénio do  Presidente Jacob Zuma, os  sul-africanos  mantêm a sua fidelidade ao ANC (Congresso Nacional Africano) no poder desde o fim do apartheid em 1994. As eleições gerais realizadas no dia 7 de Maio confirmaram um ligeiro recuo do partido de Nelson Mandela , mas este último lidera nas estimativas baseadas em 75% das mesas de voto com 62,3% dos votos. Os analistas locais afirmam que a percentagem de votos obtida pelo ANC confirma as previsões das sondagens .

Segundo o politógo  Stephen Friedman, o facto de se registar uma baixa dos votos favoráveis ao partido do Presidente Jacob Zuma não é  propriamente uma surpresa. "A  realidade__disse Friedman__ é  que  a maioria dos partidários do Congresso Nacional Africano,quando se trata de eleições nacionais privilegiam mais a sua lealdade ao partido como organização política do que à actual direcção do ANC. Acusado de corrupção e incompetência pela oposição, o ANC continua a ser para milhões de sul-africanos o partido  que incarnou Nelson Mandela e à quem devem a sua luta pela liberdade contra o regime segregacionista de apartheid. Todavia após a confirmação de  uma  nova vitória eleitoral, o Congresso Nacional Africano não terá outra alternativa senão mudar e redifinir a sua estratégia de desenvolvimento perante uma sociedade sul-africana, na qual os "born-free"(sul-africanos nascidos depois do fim do apartheid) tornaram-se os ponta de lança de uma população que vinte anos depois exige mais e melhor.

Numa entrevista à RFI , Gilberto Martins do Congresso Nacional Africano afirma que o seu partido  está preparado para o novo desafio e revela a sua confiança no futuro da África do Sul.

 

ENTREVISTA : Gilberto Martins 08/05/2014 Ouvir

 

     

              

 
O tempo de conexão expirou.