Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/07 15h00 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
África

Quatro reféns franceses no Niger postos em liberdade

media Quatro reféns franceses no Niger postos em liberdade © AFP /montagem

O presidente da República Francesa, François Hollande, actualmente em deslocação à Eslováquia, confirmou esta terça-feira a libertação dos quatro reféns franceses raptados no Níger em 2010.

François Hollande avançou que a notícia lhe foi confirmada pelo seu homólogo nigerino, Mahamadou Issofou, a quem agradeceu todo o empenho e determinação no processo de libertação dos quatro reféns franceses. Ao final da tarde os ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa franceses estavam já capital,Niamey, para a acolherer os reféns e ainda para se encontrarem com o chefe de Estado do Níger. Em declarações à imprensa, o responsável pela diplomacia francesa, Laurent Fabius, afirmou que os quatro franceses estão bem de saúde.

Thierry Dol, Daniel Larribe, Pierre Legrand e Marc Féret trabalhavam para a empresa francesa de extracção de urânio -Areva- foram sequestrados em Arlit, no norte do Níger, em 2010 por elementos da Al Qaeda do Magreb Islâmico, juntamente com outros três reféns uma mulher francesa, a esposa de Daniel Larribe, um togolês e um malgaxe. Os três últimos acabariam por ser libertados a 24 de Fevereiro em território nigerino. Um mês depois o Aqmi veio reclamar 90 milhões de euros para a libertação dos quatro franceses, um pedido que acabaria por se recusado pela França.

Em Maio de 2012 quando chega ao poder, François Hollande compromete-se a encetar todos os esforços para a libertação dos reféns no entanto, e segundo o presidente francês a guerra no Mali acaba por adiar este dossier, agora alcançado.

Todavia, o chefe de Estado francês não esquece que apesar desta boa notícia há ainda sete franceses raptados no mundo, dois no Sahel, um no Nigéria e outros quatro na Síria. Para eles François Hollande deixou uma mensagem: "Eu penso neste sete reféns. Não percam a esperança, não percam nunca a esperança, a República é sempre solidária".

Ouça aqui a declaração do chefe de Estado francês:

François Hollande, Presidente da República Francesa 29/10/2013 Ouvir

 

 

 

 

 

 
O tempo de conexão expirou.