Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 11/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 11/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 11/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 11/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 11/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 11/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 10/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 10/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Manifestantes e polícia voltam a se enfrentar na capital do Senegal

media Polícia e manifestantes senegaleses se enfrentaram diante de uma mesquita no centro de Dakar neste domingo. AFP/ Seyllou

Novos confrontos entre manifestantes e policiais aconteceram no centro da capital Dakar na tarde deste domingo. Dezenas de pessoas ficaram feridas. Há seis dias, forças do governo coíbem manifestações da população contra a nova candidatura do presidente Abdoulaye Wade, que está há 12 anos no poder. As eleições presidenciais senegalesas acontecem no dia 26 de fevereiro.

Segundo agências de notícias, os confrontos entre manifestantes e policiais foram extremamente violentos. Bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha eram utilizadas para conter a multidão. Os manifestantes se defendiam com pedras e ateando fogo em pedaços de madeira na região da mesquita da confraria Tidiane, atacada ontem pelas forças de ordem do governo.

O ápice da violência aconteceu na última sexta-feira e sábado, resultando em cerca de vinte feridos. Os confrontos recomeçaram neste domingo no final de um culto na mesquita atacada pelos policiais. Segundo testemunhas, as forças teriam invadido o local lançando bombas de gás lacrimogênio quando fiéis participavam de um culto no interior do prédio.

Habitantes e comerciantes da região central de Dakar, onde acontecem os confrontos mais violentos, dizem-se chocados com a onda de brutalidade, especialmente dentro de um local religioso. “O presidente Abdoulaye Wade tem que partir, é a única solução”, afirma um feirante local.

Candido Câmara, correspondente da RFI em Dakar
"O Senegal está em fogo." 19/02/2012 Ouvir

 

 
O tempo de conexão expirou.